Nara Straw e Camille Hivelin fazendo face à polícia e a custos médicos enormes após um acidente trágico no Brasil

Translate this page: English - French - Portugese

Este sítio Web foi publicado para fornecer a informação sobre o caso de Nara Straw(Canadense de 25 anos) e Camille Hivelin(Francesa de 25 anos). Nara e Camille prosseguem em justiça Real Expresso, (uma sociedade de ônibus nacional do Brasil) e Unibanco Seguros (o seguro da empresa), depois de um acidente de ônibus trágico que tornou-os incapaz de trabalhar. Também, Nara preciso pagar custos odontologia e cirúrgicos enormes.


No dia 8 de Fevereiro de 1998, Nara embarcou para uma viagem de 5 anos a fim de explorar o mundo, trocando a paz, o conhecimento, e a música com muitas culturas do nosso planeta. Há 2 anos, Nara e Camille encontrou-se na Croácia e viajaram para a Itália, a Bélgica, as ilhas Canárias e o Brasil. Os seus desejo eram voltar no Canadá para Janeiro de 2003.

 

No dia 14 de Dezembro 2002, Nara e Camille sofreram um acidente trágico. O ônibus da Real Expresso, levando 24 passageiros, chocou-se na traseira de uma caçamba carregada de areia. Houve duas mortes e vários feridos. Havia muitos turistas estrangeiros à bordo. Após uma viagem noturna de 7 h com  20 min de descanso, o motorista adormeceu na direção. Devido a este fato, o mesmo foi despedido da empresa.

(As links para o artigo "A tarde" encontra-se no fim este de artigo) 

 

Nara perdeu os seus 2 dentes superiores do lado direito, 4 dentes morreram e teve fratura da maxila superior, além de corte no lábio e queixo, com cicatrizes estéticas. Vale salientar, que Nara é músico e toca instrumento de sopro, estando prejudicado o seu desempenho profissional, devido a retração do lábio inferior. O seu tratamento está estimado no período de 2 à 4 anos incluindo cirurgia de implante dentário, colocação de aparelhos ortodônticos, cirurgia plásticas, canais, etc. Camille sente apenas fortes dores nas costas.

 

Pensavam em voltar rapidamente ao Canadá, mas no início a empresa de ônibus não queria pagar o tratamento odontológico fora do Brasil, ficando impossibilitado de obter a assistência médica gratuita necessária do seu país, pois está fora do Canadá. De acordo com os conselhos de sua advogada Soraia Braide (recomendada pela Embaixada Canadense), a mesma recomendou-os a permanecerem no Brasil para reclamarem os seus direitos.

 

A Real Expresso inicialmente consentiu que Nara e Camille permanecessem em Salvador - Bahia até que um acordo fosse fechado. Logo após o acidente, a empresa prometeu pagar o melhor tratamento possível no Canadá, os bilhetes de regresso do casal para o Canadá, todas as despesas necessárias para a alimentação, hospedagem, remédios, transportes, assim como os honorários da advogada dos passageiros, pagamento da multa perante a imigração por terem  excedido os seus Vistos de permanência no Brasil (se necessário), um valor a título de indenização para danos morais e danos estéticos, e um "extra" para os feriados perdidos.

 

Durante mais de 7 meses, o casal reuniu informações de vários dentistas especialistas do Canadá e do Brasil, atestando via relatórios a extensão das seqüelas deixadas pelo acidente, bem como dos tratamentos necessários para a plena recuperação do passageiro Nara. Durante este tempo, acumularam recibos de transportes, de alimentações e de hospedagem, sem que fossem totalmente pagos pela empresa.

 

Desde o início, Real Expresso não os ajudaram, escondendo informações (como o nome de seu empresa de seguro, Unibanco) e somente depois de intermináveis chamadas telefônicas da advogada dos passageiros, a Real Expresso pagava o estrito mínimo (os custos médicos e de tempo em tempo as refeições e hospedagem), mas nunca reembolsava a totalidade dos recibos. Freqüentemente o casal tinha que pagar as suas despesas com o seu próprio dinheiro. Os problemas de dinheiro tornou-se mais que freqüentes (Nara já que usou todo o dinheiro da sua conta bancária, Camille mantinha o casal desde o acidente). As dificuldades continuaram ao ponto de Nara e Camille ficarem endividados. Foram abandonados complemente no dia 4 de Agosto de 2003 pela empresa Real Expresso, e forçados a tomar empréstimos de dinheiro aos membros de suas famílias e amigos próximos para sobreviverem na Bahia.

 

No dia 9 de Setembro de 2003 a empresa denunciou Nara e Camille aos oficiais de imigração. O  casal foi retirado do seu apartamento pela polícia federal, foram ouvidos pelo Delegado e dele receberam uma multa 828 reais cada um pôr terem excedido o prazo dos seus Vistos. Felizmente o português de Nara e Camille eram suficientes para pedir a presença da sua advogada que já havia desde o dia 20/12/2002 comunicado a imigração da ocorrência do acidente e da necessidade do passageiro Nara de concluir o tratamento odontológico já iniciado. Desta forma, já era de conhecimento da Polícia Federal o que estava acontecendo, não havendo nenhuma irregularidade cometida pelos passageiros, e sim um caso de força maior.

 

A audiência preliminar de tentativa de conciliação ocorreu no dia 14 de Outubro de 2003 a Simões filhos, Salvador, Bahia, Brasil. A empresa Real Expresso alegou na sua peça de defesa que o casal estava ilegalmente no Brasil (máximo de 6 meses pôr ano da data de entrada) e por isto não poderia recorrer à justiça. O advogado da empresa Real Expresso afirmou que um Brasileiro numa mesma situação no Canadá não teria direitos e seria tratado da mesma forma. Também, a Unibanco Seguros não se apresentou o dia do audiência, sendo revele.

 

Embora sejam otimistas, Nara e Camille pretendem  regressar para as  suas famílias para a festa de Natal, e para que isto aconteça, eles necessitarão  de todo apoio das autoridades competentes (públicas e políticas), no sentido de viabilizar o termino deste processo.

Para mais amplas informações, e/ou para enviar cartas de apoio, pôr favor contato:

Strawcase@winthroppublishing.org

Descrição:

Link:

O artigo de "a tarde" do acidente

http://www.atarde.com.br/materia.php3?mes=12&ano=2002&id_materia=2244

Mesmo como acima - Transcrito

http://www.winthroppublishing.org/strawcase/atarde.htm

Mesmo como acima - em Inglês

http://www.winthroppublishing.org/strawcase/atarde_eng.htm

Mesmo como acima - em Francais

http://www.winthroppublishing.org/strawcase/atarde_fr.htm

 

O artigo de "Morning Star" do acidente

http://www.winthroppublishing.org/strawcase/star.htm

 

A empresa Real Expresso

http://www.realexpresso.com.br

A Sociedade, Unibanco Seguros

http://www.unibancoseguros.com.br

 

Darryl Stinson MP, l'Okanagan/Shuswap

stinson@canadianalliance.ca

o Consulado canadense no Brasil

consular@canada.org.br

Embaixada canadense em Brasil

http://www.dfait-maeci.gc.ca/brazil

Deputado brasileiro: Fernando Gabeira

dep.fernandogabeira@camara.gov.br , http://www.gabeira.com.br

Ministro brasileiro de turismo:
Walfrido Mares Guia

dep.walfridomaresguia@camara.gov.br , http://www.turismo.gov.br

 

Vous êtes le visiteur:

©Winthrop Publishing Company Canada